Gás x Paz

Em junho de 1968 no Centro Histórico do Rio de Janeiro, cem mil brasileiros se reuniram pelo fim da ditadura militar, o que ficou historicamente conhecido como A Passeata (ou Marcha) dos Cem Mil. Quarenta e cinco anos depois, em junho de 2013, coincidentemente cem mil pessoas vão às mesmas ruas do centro do Rio de Janeiro para protestar, à priori, contra as altas tarifas do transporte público. Mas essa reivindicação inicial logo mostrou-se somente como a ponta do iceberg da indignação popular – foi a gota d´água. E assim como no Rio, paralelamente e como uma corrente do bem, o Brasil e o mundo bradou em uníssono: CHEGA!
Atualmente também marchamos pelo fim da ditadura, mas da ditadura do “time is money”, da ditadura do “malandro é malandro, mané é mané”. Marchamos essencialmente pela morte do “jeitinho brasileiro” como traço cultural de nosso povo – e por consequência, de nossos representantes políticos. Marchamos por cada vinte centavos de cidadania que vêm nos tirando desde sempre enquanto nos hipnotizam com novelas, crises inventadas e notícias tendenciosas – e tudo sempre acabando em pizza. Sei que muitos, assim como eu, não sabem – efetivamente – o que querem com essas Manifestações Populares, mas sabem exatamente o que não querem mais. E pelo que não queremos mais, marchemos sem partido, “com muito orgulho e com muito amor” pelo Brasil.

Com amor, Marina Mara