Balzaca Roquenrou


Mulher com M maiúsculo?
Só após os trinta.
É quando se aprende que amor é para dois
E se for para um, que seja para si mesma
É quando a sensualidade não é só um decote
E um bom vinho combina com tudo
É quando não é preciso ser radical
Pois o inverno da insegurança
Morreu em sua trigésima primavera
Ser Balzaca ainda não é ser Loba
Mas já se sabe uivar para a lua
Despida de medos, de alma nua
Se enxerga pela primeira vez
E vê que não é mais uma menina
Mas pode sê-la quando quiser
Quem acha os trinta o fim, concordo
É o fim do treinamento, início de jogo
É o fim do querer ser, sendo de fato
Mulher de trinta não é escolhida, escolhe
E aprecia quem a sabe apreciar
E não a tente enganar
Ela lê a verdade em teu rosto
E não abre mão do gosto
Da beleza de saber se amar.