Suassuna


suassuna se assina com
s de sertão
com s de saudade em
cor-de-laranja
colorindo mosaicos
que a terra esbanja
nos caminhos de
quebra-cabeça de chão
suassuna se assume
como nobre cangaceiro
quando desembainha
sua caneta e aponta
para o alvo fazendo
jorrar flores e afronta
à música que não for
a do povo brasileiro
suassuna se assiste
como a um festejo
misturando crendice,
cor, luta e poesia
que a ladainha transforma
feito alquimia
em tesouro cultural e
orgulho sertanejo
suassuna se assusta nas
concretas capitais
quando vê brotando
do cinza o seu sertão
ficando conhecido igual
chapéu de lampião
onde só queria contar
estórias, nada mais.