Bras-Ilha


O Ipê não se demora
A enfeitar sua primavera
De olhar exótico

Alvorada e aurora
Nos fita com céu que

Seu povo venera
Um sutil ritual a faz genuína
Por seis meses

Se põe a chorar
E quando não chora

Essa menina
Guarda seu pranto

No Lago Paranoá
Cerrado de excêntrica

Arquitetura
Possui as bênçãos

De uma Catedral
A crença nascida

Da mescla de cultura
Compõe a alma

Da brasileira Capital