Fogos de artifício

Fogos de artificio literalmente
Me acordaram esta manhã
Para uma realidade
Tão triste que me recusava
Enxergar até então
Eu ainda acreditava
Que essa confusão
Era coisa de uma massa
Mal informada, manipulada
Até coitada às vezes
Por não saber bem o que estava
Apoiando e aplaudindo
Foi esse tipo de esperança que
Os fogos-de-artifício-anti-democracia
Queimaram em mim esta manhã
Cada pow no céu era um réquiem
Para mais um negro
Uma mulher, um homossexual
Assassinado por um “cidadão de bem”
Cada boom era um prato de comida
A menos naquelas mesas
Cada pipoco ouvido tinha o som
De mais um corpo caindo
.... pof, mais um direito jaz
Pof, o valor do nosso voto
Pof, outro diploma do filho
Da empregada vira pó
Para politico playboy cheirar
Pof, pof, pof...
Junto aos corpos caiam
Minhas lágrimas
Mas não exatamente
Pelos corpos
Mas pelo êxtase
De ódio crepitando
No olhar do barulhento irmão
Que com um rojão
Assassina direitos
Conquistas, sonhos, vidas
E celebra como a um gol
A quase morte da humanidade
Em seu pais.