Na estrada


tem horas?
são quatro e vinte.
à sombra
do coqueirão
um andarilho
dos andes
e da estrada
artesão
fez para mim
um anel estrelar
e desposou-me
com um fio
de cobre
instante nobre
que existiu
em seu olhar